17 de abril de 2018

Os melhores aplicativos de edição (gratuitos) para celular

Quem manja ao menos um pouco sobre fotografia sabe reconhecer que uma boa edição é fundamental para uma foto bonita (mas não vá pensando que um olhar fotográfico apurado não importa, porque importa demais!). Há uns bons anos eu decidi experimentar mais dessa arte e suas possibilidades, compartilhando muito disso no meu instagram. Alguns downloads não foram tão animadores, e em todos os testes que fiz, descobri os melhores aplicativos de edição para celular e trouxe alguns deles hoje pra vocês.

O primeiro é o LightRoom Mobile: o queridinho do momento. Este app tem ferramentas muito úteis e práticas, garantindo edições lindas até naquelas fotos que você não imagina. Ele tem uma pasta com diversas pré definições disponíveis para você usar e adaptar gratuitamente. Uma simples e rápida correção em brilho, contraste e luminosidade pode deixar qualquer foto bem mais atrativa, eu garanto! Pra quem trabalha com redes sociais e precisa de praticidade, esse é o app ideal!

O Airbrush é ótimo pra quem adora uma selfie e faz todas (ou a maior parte) de suas fotos pelo celular. Com ele é possível corrigir imperfeições do rosto, remover manchas, clarear os dentes e muitas outras funcionalidades (mas não se prende nisso, tá?) Ele também oferece filtros bem variados que ficam à disposição do usuário. Útil, né?

Se você curte aquelas fotos com efeitos envelhecidos e luminosos, com certeza vai aprovar o Afterlight. Esse conta com máscaras incríveis para você aplicar sob a sua foto. Sua sessão paga oferece ainda diversas molduras polaroid, mas quem não achar que vale o investimento, a versão grátis já satisfaz bastante.

O Feed Master é pra quem quer planejar o feed antes de postar. Eu uso pra testar composições, esquemas de cor, etc. Com ele você pode substituir, apagar e reorganizar as fotos pra deixar o mais harmônico possível. Pra quem não liga para organização de feed, mas quer manter uma frequência de postagens, essa pode ser uma ótima ferramenta!

Tem mais algum aplicativo imperdível que você usa? Deixa o nome aí nos comentários que eu quero testar!

2 de março de 2018

Folia ferida

Nossa vida
é nossa ferida
que agoniza
no meio dos confetes
do carnaval
e da purpurina
que resta
aos corpos

aos amontoados de
lembranças
n'avenida

Nossa vida
é bebida amarga
e gelada
que
mexe com a mente

Nossa vida
não cicatriza
em
quatro dias
de folia

Nossa vida
dói,
ainda
lateja
a espera
da
próxima
azia

Sentimento fraco
que destila

7 de fevereiro de 2018

"Degrassi: Next Class" é netflix, colegial, canadense e fora de padrões

A canadense "Degrassi" cumpre perfeitamente os quesitos de uma produção adolescente, enquanto foge dos clichês e das convencionalidades das séries desta temática. Envolvendo diversas histórias paralelas em episódios curtos, aborda todos os possíveis desafios da fase jovem.

Pensar em uma produção adolescente com ambientação no colégio é pensar logo em um looser de filme americano, uma nerd com baixa autoestima e o jogador mais bonito e desejado do time de basquete. E Degrassi vem exatamente para destruir todos esses padrões que vemos nas séries deste segmento.

Degrassi: Next Class supera as expectativas em diversos quesitos. O primeiro deles é que foge totalmente dos clichês americanos. Nela, o time da escola que recebe destaque não é o de basquete masculino: são as garotas do vôlei. A narrativa não é sobre um queda da nerd pelo garoto mais desejado do rolê. Além de contar com várias histórias e personagens bem construídos, tem o cuidado de abordar temas muito importantes como o feminismo, o empoderamento negro e questão imigrante.

Os problemas enfrentados pelos personagens são reais. Você com certeza já passou por pelo menos um dos perrengues retratados na série - principalmente se já integrou um grêmio estudantil ou algum grupo parecido.

Uma característica muito positiva ao longo da produção é que os personagens vão se transformando. A maioria deles têm personalidades diversas, o que é motivo de ainda mais conflitos da convivência estudantil. O elenco é muito diverso e os desejos de seus respectivos personagens são muito bem representados pelas atuações deles. Todos os grupos são retratados na séries: os populares, nerds, gamers, heterossexuais, homossexuais, negros... todos têm espaço!
Então se você busca uma série inteligente de jovens que estão tentando se encontrar, Degrassi pode ser uma ótima pedida para um final de semana de maratona!

11 de janeiro de 2018

"The end of the fucking world" é uma junção excêntrica de romance, comédia e terror numa série britânica da Netflix

A série da vez é The end of the fucking world, uma produção britânica da Netflix inspirada na obra de Charles Forsman, que estreou no Brasil no dia 05 desse mês. A série é protagonizada por dois adolescentes insatisfeitos com suas vidas que caem na estrada em busca da liberdade longe dos pais.

Alyssa é uma adolescente de 17 anos sem papas na língua que mora com a mãe, um padrasto totalmente abusivo e os dois bebês desse casal, já que seu pai foi embora há anos e só dá sinal de vida quando a manda cartões de aniversário. James é, em contrapartida, um jovem solitário e calado que acredita ser psicopata. Mora apenas com o pai porque sua mãe faleceu quando ele era criança.

A dupla totalmente adversa se conhece no refeitório na escola e não poderia dar mais certo: pegam o carro e caem na estrada, de repente, em busca de reencontrar o pai de Alyssa e construir uma nova história. O destino é totalmente improvável e eles descobrem as surpresas do percurso com o espectador.

Os 8 episódios da temporada retratam a empreitada que, como qualquer viagem mal-planejada, tem seus imprevistos. Cada episódio traz uma crise desse convívio, o que vai firmando ainda mais a relação dos dois a partir de suas diferenças. É incrível como a personalidade deles vai se transformando e se acentuando a medida que os dilemas do percurso vão surgindo. De um convívio totalmente inesperado, surge uma relação ainda mais improvável, que vai se construindo ao longo da obra.

Envolvendo rebeldia e muitos outros segredos, The end of the fucking world pode ser encarada como uma história de superação numa convivência inesperada. Apesar de abordar a rebeldia de dois adolescentes, consegue fugir do perfil clichê das séries jovens quando envolve terror e romance em uma só produção.

Pra quem é apaixonado por fotografia e estilo vintage, essa série não deixa a desejar de forma alguma. As cores, cenários e figurinos são impecáveis, fazendo os olhos brilharem. The end of the fucking world é um exemplo impecável de atuação + originalidade + fotografia. Portanto, se você quer assistir algo leve, rápido e com uma boa narrativa, esta é uma ótima pedida para uma maratona.

30 de dezembro de 2017

Malabarize-se!


arquibancadas
de sonhos
de desencontros
e desencantos

entre míseros
e excessivos
públicos

a arte
do espetáculo
é não desistir

malabarize-se!

Duas mil
e muitas outras
emoções
estão por vir!

Feliz 2018!

13 de novembro de 2017

Mergulho em tentativa

Eu tentei
Eu juro que tentei
É tudo tão amargo
quanto um doce pedaço
de ruptura

Creio que todo o plantio de meus quereres
tenha germinado lembranças indevidamente
presentes e
pretéritas

Eu já disse que tentei
E foi [exatamente] por
excesso
de tentar
que'u suplico

hoje sei, e digo
o ontem já não é mais verdade
e o que resta, então?
lembranças

verdades
destiladas
corriqueiramente
lembranças

eu tentei
eu juro que tentei
desencanto
não é
desalentar